Blog

Tears of steel

Posted by:


tos-posterLançado em Setembro de 2012 o curta de 12min Tears of Steel, assim como seus antecessores tem o mesmo objetivo, melhorar o Blender e seus principais alvos foram:

  • Câmera e motion tracking
  • Renderização Foto-realistica
  • Melhorar composição, (video/vfx) edição, mascaramento
  • Fogo/fumaça/volumes & explosões

O que sempre foi conseguido nas edições anteriores, nesta também não foi diferente e todos os objetivos foram alcançados de uma maneria ou outra, mas não é sobre detalhes técnicos do software que quero falar e sim sobre o curta.

O Curta

Ian Hubert assina a história de um grupo de cientistas e guerreiros que tentam modificar fatos do passado que desencadearam na atual situação para  impedir que os robôs dominem o mundo. É dele também a direção.

Elenco

É claro que com o orçamento para a produção não é tão grande assim, não podemos esperar algo que se assemelhe ao longa-metragem Os Mercenários que tinha no elenco Sylvester Stallone, Jason Statham, Jet Li, Dolph Lundgren, Randy Couture, “Stone Cold” Steve Austin, Terry Crews, Mickey Rourke e Bruce Willis que com certeza somente um deste já consumiria todo o orçamente com seu cache, mas porque não pegar uma ator um pouco mais “barato”? Isto daria um nível de profissionalismo maior ao curta e com toda certeza seria visto com outros olhos inclusive para os telespectadores comuns e que não fazem parte do mundo 3D, mas são os que realmente tonam produções um sucesso ou um fracasso.

Animações

Apesar de ter um nível incrível em que eu nem em meus sonhos mais loucos conseguiria executar, ainda é possível ver alguns momentos onde nossos olhos não são enganados e isto é um fator muito importante para gostarmos de uma animação. Me lembro que em 2001 quando descobri que A fuga das galinhas era um stop-motion fiquei impressionado, pois apesar de na época, sentir algo estranho com o filme, foi executado de maneira que conseguiu enganar os meus sentidos o suficiente para conseguir superar meus mecanismo inconscientes e se passar algo “real”.

O Vilão

Por se tratar de uma especie que deseja a dominação e extinção humana seria de se esperar mais do vilão da trama, tanto de seu perfil, inteligencia e principalmente aparecia que precisava de mais “concepts”, afinal não é difícil de se encontrar modelos mais convincentes em fóruns de computação gráfica pela net a fora. Os “cães” são um tanto quanto artificiais para seres dotados de inteligencia, seus movimentos “quadrados” e estranhos e de aparência que lembra um pouco o estilo Steampunk, que seria muito interessante se fosse propositalmente e todo o cenário planejado e ambientando para remeter o enredo completo a esta bela vertente da ficção cientifica.

 O Roteiro

A historia é boa, mas o roteiro não consegue dar suporte a ela e fica com muitas lacunas e é preciso recriar o trama na mente para se entender o que realmente aconteceu, o que pode se por falta de tempo de apenas 12min, talvez se fosse um pouco mais longo tudo poderia ser melhor conectado, e vale ressaltar que isto aconteceu com Elephant Dreams, que foi até defendido por alguns com o argumento de que se tratava de sonhos de um elefante, então não seria de se esperar coisas plausíveis.

Conclusão

Mas ha coisas boas, muitas delas diga-se de passagem,o visual impecável e com detalhes extraordinários proporciona uma experiência prazerosa ao espectador deixando-o com aquela sensação de quero mais ao final da projeção. O que poderia sanar todos os problemas descritos acima seria um tempo maior para a produção que teve apenas 7 meses de produção, dos quais apenas 4 dias de filmagens, mais tempo também para o roteiro, 12 minutos realmente foi pouco para uma historia tão boa, quem sabe não vemos uma outra filmagem com mais orçamento e tempo.



related post

0


About the Author:

Nerd inveterado, já tentou 'abraçar' a informática como um todo e quase enlouqueceu, já perdeu coisas boas da vida para ficar estudando 'a tecnologia do momento', mas conseguiu bons amigos nas veredas binarias.

Add a Comment